Câmara de Almeida aprova orçamento para 2016

A Câmara Municipal de Almeida aprovou, por maioria, o orçamento municipal para 2016, no valor de 11,3 milhões de euros, que promove a cooperação transfronteiriça.

O novo orçamento do município de Almeida, no distrito da Guarda, no valor global de 11.365.420 euros, regista uma ligeira descida em relação ao documento de 2015, que teve um valor de 11.714.597 euros.

Um dos objetivos prioritários daquele município situado junto da fronteira com Espanha é “a aposta na cooperação transfronteiriça através do Programa Interreg V-A, apoiado em candidaturas conjuntas com a comunidade de trabalho BIN/SAL e Consórcio Transfronteiriço das Cidades Amuralhadas”, segundo o seu presidente António Baptista Ribeiro (PSD).

“Estamos a apresentar um orçamento para o ano de 2016 num período em que ainda navegamos num mar de incertezas, sem datas definidas para abertura de avisos de concurso ou publicação de regulamentos para cada eixo e prioridades de investimento do Programa [Portugal 2020]”, refere o autarca no texto justificativo do documento.

O município, “embora ainda sem verbas definidas para as candidaturas a fundos comunitários provenientes do programa Portugal 2020”, dispõe “dos meios financeiros suficientes para suportar os valores não comparticipados”, adianta.

Apesar dos constrangimentos, o autarca considera que apresentou um orçamento “que aposta nos valores da educação, no apoio social, no turismo e valorização do tecido económico”.

“Continuaremos a apostar na organização de eventos de qualidade que têm vindo a ganhar dimensão e contribuam para a promoção do nosso território”, refere.

O município de Almeida também prevê protocolar acordos de execução com as freguesias e continuar os apoios às famílias e instituições.

Como a Câmara Municipal apresenta “uma boa solvabilidade” e dispõe de uma boa situação financeira, sem dívida de curto prazo, António Baptista Ribeiro sustenta que este cenário vai permitir dar resposta aos investimentos propostos para 2016, “nomeadamente em acessibilidades e equipamentos, arranjos urbanísticos e implementação das ARU’s [Áreas de Reabilitação Urbana] modernização administrativa e otimização energética”.

O orçamento municipal de Almeida foi aprovado pelo executivo camarário por maioria, com três votos a favor e duas abstenções por parte dos vereadores da oposição.



Conteúdo Recomendado