Câmara da Guarda felicita Américo Rodrigues pela nomeação para diretor-geral das Artes

A Câmara Municipal da Guarda teve ontem uma “palavra de felicitação” pela nomeação de Américo Rodrigues para diretor-geral das Artes, anunciou o seu vice-presidente, Carlos Chaves Monteiro.

O autarca, que ontem presidiu à reunião quinzenal do executivo liderado por Álvaro Amaro (PSD), disse aos jornalistas, no final da sessão, que, no período de antes da ordem do dia, além de comunicar a designação de Américo Rodrigues para o cargo, também deixou “uma palavra de felicitação” ao nomeado.

O antigo diretor do Teatro Municipal da Guarda Américo Rodrigues é o novo diretor-geral das Artes, em substituição de Sílvia Belo Câmara, anunciou na sexta-feira o Ministério da Cultura.

“Américo Rodrigues assume, a partir da próxima quarta-feira, dia 13 de fevereiro, o cargo de Diretor Geral das Artes. Será nomeado em regime de substituição”, referiu a tutela num comunicado.

Ontem, na reunião de Câmara, o vice-presidente do município da Guarda referiu que o executivo dirigiu “uma palavra de felicitação ao doutor Américo Rodrigues por esta designação”.

“É mais um guardense que vai desempenhar um cargo importante a nível nacional, e neste caso, na área das Artes, e que a todos nos orgulha bastante”, afirmou o autarca.

Carlos Chaves Monteiro lembrou o esforço da Câmara Municipal da Guarda no setor da cultura e na preparação da candidatura da cidade a Capital Europeia da Cultura em 2027, afirmando que é sempre importante ter “um guardense à frente das Artes nacionais”.

Segundo o autarca, o município tem Américo Rodrigues como um “parceiro importante” para que todos os objetivos que pretende desenvolver sejam atingidos e que, com ele, também possa “ir mais longe”.

Os dois vereadores do PS, Eduardo Brito e Pedro Fonseca também se pronunciaram sobre a nomeação do novo diretor-geral das Artes.

Eduardo Brito felicitou Américo Rodrigues pela designação, referindo que “é o reconhecimento do seu valor e da sua competência”.

“A Guarda só deve rejubilar” com a sua nomeação, acrescentou, apontando que “é um quadro importante da Guarda que ascende a uma posição no plano nacional”.

O outro vereador socialista, Pedro Fonseca, considerou que a nomeação de Américo Rodrigues significa que “quem não serve para a Cultura na Guarda, serve para a Cultura no plano nacional”.

Recordou que o nomeado é funcionário da Câmara Municipal da Guarda e não esteve sempre a trabalhar na área da Cultura, pois ultimamente “estava a trabalhar em projetos educativos”.

O socialista disse ainda não compreender como é que Américo Rodrigues “não foi envolvido” na candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura, esperando que “a posição da maioria PSD se altere”.

Américo Rodrigues, que nasceu na Guarda em 1961, foi diretor do Teatro Municipal da Guarda (2005-2013) e coordenador da Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço (2005-2018) naquele concelho.

Licenciado em Língua e Cultura Portuguesas pela Universidade da Beira Interior e Mestre em Ciências da Fala pela Universidade de Aveiro, Américo Rodrigues é poeta, ator, encenador, ‘performer’ na área da poesia sonora e programador cultural.

Em 2011, foi distinguido com a Medalha de Mérito Cultural, pelo contributo para o desenvolvimento cultural da região da Guarda.




Conteúdo Recomendado