Câmara da Guarda aprova localização do futuro Centro de Exposições Transfronteiriço

A escolha da autarquia foi para a proposta de construção do CET no espaço da antiga fábrica Tavares, na zona do Rio Diz, que representa um investimento de nove milhões de euros.

A Câmara Municipal da Guarda aprovou hoje, por unanimidade, a localização do futuro Centro de Exposições Transfronteiriço (CET) no espaço de uma antiga fábrica, na zona do Rio Diz.

Segundo o presidente da autarquia da Guarda, Álvaro Amaro (PSD), a escolha da localização do pavilhão multiusos resultou de um processo de consulta que considera o “mais participado de que há memória” localmente.

No final da reunião quinzenal do executivo, o autarca referiu aos jornalistas que foram propostos dez locais, sendo sete apresentados por uma empresa que elaborou um estudo e três por munícipes.

A escolha da autarquia foi para a proposta de construção do CET no espaço da antiga fábrica Tavares, na zona do Rio Diz, que representa um investimento de nove milhões de euros.

Segundo Álvaro Amaro, com a construção do CET, que nunca acontecerá “em menos de dois anos”, será criada “uma nova centralidade na Guarda”, que deverá implicar a abertura de novos acessos rodoviários ao local.

Na proposta hoje apresentada pela autarquia da Guarda, refere-se que a sugestão relacionada com a antiga fábrica Tavares apresenta “o custo global de construção mais baixo, no valor de nove milhões de euros, relativamente a todas as restantes localizações analisadas”.

“É o local ideal, com todas as potencialidades para o nascimento de uma nova centralidade na Guarda, charneira de ligação entre a cota baixa e a cota alta da cidade, potenciador da dinamização e regeneração do tecido urbano envolvente, nomeadamente a redefinição paisagística da zona envolvente, implementando uma continuidade e interligação com o atual parque da cidade [Parque Urbano do Rio Diz]”, lê-se no documento.

O espaço escolhido fazia parte das propostas de localização daquela infraestrutura apresentadas pelo estudo encomendado pela Câmara a um gabinete do Porto, que referenciou o Parque Urbano do Rio Diz, o Estádio Municipal, o espaço da feira quinzenal, a área da antiga fábrica Tavares, junto da rotunda Portas da Cidade, na antiga fábrica Delphi e na Quinta da Maunça.

Os vereadores do PS Eduardo Brito e Pedro Fonseca votaram a favor da proposta apresentada pelo social-democrata Álvaro Amaro, por considerarem que a localização “é boa”.

“Trata-se de rentabilizar um terreno que já é do município”, disse Eduardo Brito, acrescentando que a Guarda tem necessidade de uma nave de exposições/pavilhão multiusos.

Segundo o vereador socialista, o CET “é uma estrutura importante no processo de afirmação da Guarda”.




Conteúdo Recomendado