Câmara da Guarda admite intervenção no local do despiste de carrinha com equipa de futebol

Segundo o autarca, o município que lidera pondera “claramente que, em pontos nevrálgicos de perigosidade elevada”, sejam feitas correções de via.

O presidente da Câmara Municipal da Guarda admitiu ontem a possibilidade de a autarquia fazer uma intervenção no local onde, no domingo, ocorreu o despiste de uma carrinha que transportava uma equipa de futebol de Aguiar da Beira.

Segundo Carlos Chaves Monteiro, sempre que os índices elevados de acidentes ocorram num determinado local, como será o caso, “obrigam a pensar em medidas de segurança especiais”.

No domingo, o despiste em Alvendre, no concelho da Guarda, de uma carrinha que transportava parte da equipa de futebol sénior de Aguiar da Beira, provocou oito feridos, um dos quais grave, afirmou então fonte do Comando Territorial da GNR.

O despiste ocorreu às 13h46, na Estrada Municipal 557, disse à agência Lusa a mesma fonte.

A carrinha de nove lugares deslocava-se para Almeida, onde a equipa de Aguiar da Beira tinha um jogo de futebol, acrescentou.

Segundo a fonte da GNR da Guarda, os feridos têm idades entre os 19 e os 45 anos.

Hoje, no final da reunião quinzenal do executivo municipal da Guarda, questionado pelos jornalistas sobre o assunto, o presidente Carlos Chaves Monteiro disse que a autarquia está a proceder a uma “avaliação interna” para tomar as medidas adequadas para que, no futuro, “estes acidentes não ocorram” naquele local, ou então, para que seja “minimizado esse risco”.

Segundo o autarca, o município que lidera pondera “claramente que, em pontos nevrálgicos de perigosidade elevada”, sejam feitas correções de via, colocada melhor sinalização ou instaladas “condições de abrandamento [da velocidade dos veículos], se for o caso”.

De acordo com fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) da Guarda, no local do acidente estiveram 43 elementos com 20 viaturas dos Bombeiros Voluntários da Guarda, Celorico da Beira e Vila Franca das Naves (Trancoso), PSP, GNR, Instituto Nacional de Emergência Médica e Proteção Civil Municipal.




Conteúdo Recomendado