Autarcas saúdam recomendação para reabrir linha entre Pocinho e Barca d’ Alva

O município de Figueira de Castelo Rodrigo sempre reivindicou a requalificação deste troço da linha férrea do Douro, que liga Pocinho – Barca d’ Alva até Fuente de San Estevan.

Os autarcas de Figueira de Castelo Rodrigo e Foz Côa congratularam-se hoje com a decisão do Parlamento em recomendar ao Governo a reabertura do troço da linha do Douro entre o Pocinho e Barca d’ Alva.

Os projetos de resolução do BE, PAN, PSD, PCP e PEV, que recomendam ao Governo a modernização e eletrificação da Linha do Douro – que liga Ermesinde ao Pocinho – e a reabertura do troço Pocinho – Barca d’Alva foram aprovados na quinta-feira por unanimidade na Assembleia da República.

“O município de Figueira de Castelo Rodrigo (Guarda) congratula-se com a recomendação, por ser de vital importância para o desenvolvendo turístico, económico e social deste território do interior”, disse à Lusa o presidente da Câmara de Figueira de Castelo Rodrigo, Paulo Langrouva (PS).

Segundo o autarca, o município de Figueira de Castelo Rodrigo sempre reivindicou a requalificação deste troço da linha férrea do Douro, que liga Pocinho – Barca d’ Alva até Fuente de San Estevan, na província espanhola de Salamanca, já que se trata de uma via “estratégica e fundamental” para a ligação de dois países [Espanha e Portugal].

“Esta linha serve para potenciar as trocas comerciais entre Portugal e Espanha, através da reivindicada ligação entre o Porto e Salamanca. Esta será uma porta de entrada numa região que é duplamente Património Mundial da Humanidade para quem vem de toda a Península Ibérica. Tem um potencial enorme para todo este território do Douro Superior”, indicou.

Paulo Langrouva referiu ainda que esta ligação ferroviária é um polo importante de coesão territorial porque traz “um inestimável” desenvolvimento económico para toda a região.

“Agora, esperamos que o Governo tome a posição de iniciar as obras de requalificação desta linha ferroviária transfronteiriça”, disse.

O presidente da Câmara de Vila Nova de Foz Côa (PSD), Gustavo Duarte, disse que também se congratula com a aprovação por “unanimidade” e pelo facto de o PS, grupo parlamentar que sustenta o Governo, ter votado a favor, algo que considera um “sinal positivo”.

“Espero que, a partir de agora, haja consciencialização do interesse que a esta ferrovia tem para a coesão territorial, após o prolongamento da linha Douro até Salamanca”, vincou o autarca de Foz Côa.

De acordo com o autarca, “trata-se de uma linha que é reconhecida pela União Europeia como sendo uma ligação com grande potencial entre as mais de 300 que estão a ser estudadas a nível europeu”.

A apreciação parlamentar resulta da apresentação, a 09 janeiro de 2020, de uma petição pela requalificação e reabertura da Linha do Douro (Ermesinde – Barca d’ Alva) e subsequente ligação a Salamanca, que reuniu 13.999 assinaturas.

A iniciativa foi promovida pela Liga dos Amigos do Douro Património Mundial e pela Fundação Museu do Douro.

Os promotores da petição defendiam “a relevância da Linha do Douro no quadro dos atributos que levaram à classificação do Alto Douro Vinhateiro como Património Mundial pela UNESCO e a importância que este projeto tem para o desenvolvimento endógeno” do território.

O encerramento da ligação internacional ocorreu em 1985 e o lanço entre Pocinho e Barca d´Alva encerrou em 1988.



Conteúdo Recomendado