Vila Real acolhe comemorações dos 15 anos do Douro Património Mundial

A cidade de Vila Real acolhe a 14 de dezembro as comemorações do 15.º aniversário da elevação do Alto Douro Vinhateiro (ADV) a Património Mundial da Unesco.

Foi a 14 de dezembro de 2001 que o Douro foi inscrito na lista do Património Mundial da Humanidade, na categoria de Paisagem Cultural Evolutiva e Viva.

“Vila Real é porta do Douro, entrada privilegiada para esta região classificada, e é para nós uma honra, um gosto, comemorar aquilo que é uma data marcante e simbólica para toda a região” afirmou à agência Lusa o presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos.

O autarca referiu que a classificação pela Unesco, conquistada há 15 anos, “permitiu avançar na transformação do território”.

“Ainda não temos tudo o que queríamos, é verdade que esta classificação também implicou responsabilidades, nomeadamente na capacidade de mexer no território em termos urbanísticos, de construção e de cuidado com o território, mas julgo que é inegável que foi um fator positivo”, frisou.

Para Rui Santos, “hoje o Douro é claramente uma marca em expansão e em afirmação em termos mundiais”.

Uma das consequências mais visíveis da inscrição pela Unesco é, segundo o presidente, o turismo.

Mas o Património Mundial tem sido, ao longo destes 15 anos, palco para investimentos quer na área do enoturismo, hotelaria quer também em vinhas e centros de vinificação.

A sessão evocativa dos 15 anos do Património Mundial está a ser organizada pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), através da Missão Douro, em parceria com a Câmara de Vila Real, a Comunidade Intermunicipal do Douro e a Liga dos Amigos do Alto Douro Vinhateiro.

A sessão terá como objetivo apresentar um balanço da projeção do ADV nos últimos anos e demonstrar como é que o território tem sabido preservar e conciliar os valores fundamentais da região com o seu crescimento.

O ADV corresponde à área mais representativa e melhor conservada da Região Demarcada do Douro (RDD), que é a mais antiga região vitícola demarcada e regulamentada do mundo, com delimitações desde 1756.

A área classificada compreende 24.600 hectares, cerca de um décimo do total da RDD, tendo a sua zona tampão uma área de 225.400 hectares, e abrange 13 municípios.

São eles Alijó, Armamar, Carrazeda de Ansiães, Lamego, Mesão Frio, Peso da Régua, Sabrosa, Santa Marta de Penaguião, São João da Pesqueira, Tabuaço, Torre de Moncorvo, Vila Nova de Foz Côa e Vila Real, e a sua zona tampão inclui ainda os municípios de Alfândega da Fé, Freixo de Espada à Cinta, Mirandela, Murça, Resende, Vila Flor, na região Norte, e Figueira de Castelo Rodrigo e Meda, na região Centro.



Conteúdo Recomendado