Manteigas manifesta “enorme satisfação” pelo Geopark Mundial Serra da Estrela

O presidente da Câmara Municipal de Manteigas recebeu hoje com “enorme satisfação” o anúncio da aprovação da candidatura da Serra da Estrela a Geopark Mundial da UNESCO, considerando tratar-se de um “instrumento valioso” para o território.

“Recebo a notícia com uma enorme satisfação. Aliás, já era esperado que a candidatura fosse aprovada, reconhecendo este território da Serra da Estrela como um território importantíssimo ao nível científico e turístico, no que diz respeito aos aspetos geológicos”, disse à agência Lusa Esmeraldo Carvalhinho.

A candidatura da Serra da Estrela a Geopark Mundial foi aprovada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) na 4.ª Sessão do Conselho de Geoparks Mundiais, realizada na Indonésia, foi hoje anunciado.

“A região da Serra da Estrela viu ontem [segunda-feira] aprovada pelo Conselho de Geoparks Mundiais da UNESCO a sua candidatura a Geopark Mundial e fica agora apenas a aguardar o parecer do Conselho Executivo da agência das Nações Unidas”, refere a Associação Geopark Estrela em comunicado enviado à agência Lusa.

O autarca de Manteigas lembra que o seu concelho está totalmente inserido na área da Serra da Estrela e do Parque Natural e é “detentor da maior parte dos geossítios” que estão identificados no Geopark e “os mais relevantes a nível local, regional e internacional”.

“Sendo Manteigas um território deste tipo, naturalmente que recebemos [o anúncio] com satisfação, porque entendemos que o reconhecimento deste território como Geopark Mundial é mais um instrumento valioso naquilo que deve ser a valorização e a promoção do nosso território, da nossa História, da nossa cultura e, em particular, a geologia da Serra da Estrela”, justificou.

Esmeraldo Carvalhinho disse que a candidatura, que começou a ser preparada em 2014, “é fruto de um trabalho intenso” por parte da equipa técnica e dos municípios envolvidos na Associação Geopark Estrela, que tem sede no Instituto Politécnico da Guarda (IPG).

A Associação Geopark Estrela é composta por nove municípios dos distritos da Guarda, Castelo Branco e Coimbra (Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda, Manteigas, Oliveira do Hospital e Seia) e também pelo IPG e pela Universidade da Beira Interior (UBI).

A presidência da associação é assegurada pelo presidente do IPG, Joaquim Brigas, e a vice-presidência por José Páscoa Marques, vice-reitor da UBI.

Segundo Joaquim Brigas, a aprovação da candidatura por parte da UNESCO “é o reconhecimento do potencial geológico do território e do seu património natural e cultural e, nessa medida, um primeiro passo para o desenvolvimento sustentável de toda a região da Estrela”.

“Um efeito natural deste primeiro passo será o aumento do potencial turístico, económico e social dos municípios que fazem parte do território. E, por conseguinte, o aumento da qualidade de vida das populações”, vaticina o responsável.

Após a aprovação do Conselho de Geoparks Mundiais, a Serra da Estrela fica a aguardar o parecer do Conselho Executivo da UNESCO para ingressar de forma definitiva na lista de Geoparks Mundiais deste organismo das Nações Unidas, adianta a Associação Geopark Estrela.

UNESCO aprova candidatura da Serra da Estrela a “Geopark Mundial”

 



Conteúdo Recomendado