Guarda inaugura ligação pedonal coberta no Teatro Municipal

A Câmara da Guarda vai inaugurar na sexta-feira a nova ligação pedonal coberta entre a entrada principal e o parque de estacionamento do Teatro Municipal, para dar mais conforto aos utilizadores do complexo cultural, foi hoje anunciado.

Segundo o presidente da Câmara Municipal da Guarda, Carlos Chaves Monteiro, a inauguração do denominado edifício polifónico que faz a ligação pedonal coberta está marcada para as 18 horas de sexta-feira.

A autarquia investiu 340 mil euros na concretização do projeto da autoria do arquiteto Carlos Veloso, que também foi o autor do Teatro Municipal da Guarda (TMG), inaugurado em abril de 2005.

A construção de um acesso pedonal coberto entre o parque de estacionamento e a entrada principal do TMG era uma obra há muito solicitada pelo público, segundo o presidente da autarquia.

De acordo com Carlos Chaves Monteiro, tratava-se de uma necessidade que era preciso superar, uma vez que no acesso à porta principal do TMG não existia qualquer proteção para abrigar o público nos dias de frio e de chuva.

Assim, a autarquia decidiu construir o túnel coberto que “garante maior comodidade e mobilidade” aos utilizadores do espaço.

“[O acesso pedonal coberto] garante maior segurança no acesso ao edifício principal, mais comodidade e mais conforto dos cidadãos a este espaço de cultura que nós [Câmara Municipal da Guarda] temos como um edifício de excelência em toda a região”, disse à agência Lusa o presidente da autarquia.

Carlos Chaves Monteiro também reconhece que a intervenção, realizada numa área bruta de 285 metros quadrados, vai valorizar aquele equipamento público.

Segundo a memória descritiva do projeto, a intervenção visava a construção de uma “galeria” para ligação pedonal, “que se quer ‘fechada’ entre os dois corpos construídos, designadamente entre o edifício do parqueamento automóvel e [o] edifício de auditórios do TMG”.

O autor do projeto apresentou uma solução que contemplou a construção de um pequeno edifício “composto por um conjunto de volumes diferenciados do ponto de vista dimensional” e um percurso com “quebras” que “estabelecem uma relação com o exterior pelos corpos envidraçados”, permitindo “estabelecer o contacto com o exterior, com o edifício existente e a forma do jardim que vai percorrendo contiguamente a galeria”, segundo informação disponibilizada pelo município.

O complexo do TMG, inaugurado em abril de 2005, custou cerca de 10,5 milhões de euros.

Localizado no centro da cidade da Guarda, junto do antigo Convento de São Francisco, é composto por dois cubos gigantes onde funcionam o grande auditório (com capacidade para 626 pessoas), o pequeno auditório (com capacidade para 160), um café-concerto, uma galeria de exposições e um parque de estacionamento subterrâneo.




Conteúdo Recomendado