Fogos controlados no distrito da Guarda e Castelo Branco

Segundo dados disponibilizados pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) não existem incêndios rurais/agrícolas a ameaçar a região.

De acordo com as informações disponibilizadas na página de internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, neste momento, às 15h55, existem 7 ocorrências no distrito da Guarda, envolvendo 78 operacionais, 19 meios terrestres e 2 meios aéreos, no entanto, nenhuma das situações se referem a incêndios rurais/ agrícolas. No distrito de Castelo Branco, todas as ocorrências estão em fase de conclusão. Relembrar que, o incêndio que deflagrou no sábado em Vila de Rei, distrito de Castelo Branco, foi hoje dominado, encontrando-se em fase de resolução, sem perigo de propagação. 

No distrito da Guarda, o incêndio rural na localidade de Cótimos, no concelho de Trancoso, entrou em fase de conclusão por volta das 12 horas. Já o fogo de Avelãs da Ribeira, no concelho da Guarda, foi dominado pelas 12h06.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou hoje em risco máximo de incêndio os concelhos de Vila de Rei, Vila Velha de Ródão, Proença-a-Nova, Oleiros, Covilhã e Penamacor (Castelo Branco). Também em risco máximo estão os concelhos da Guarda, nomeadamente Sabugal, Guarda, Pinhel, Figueira de Castelo Rodrigo e Vila Nova de Foz Côa.  

O risco de incêndio tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo, sendo o elevado o terceiro nível mais grave. Os cálculos para este risco são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.




Conteúdo Recomendado