Estudantes internacionais fortalecem área da Engenharia Civil na UBI

Em 2016/17, cerca de duas dezenas de alunos vindos de outros países vão iniciar os estudos no Mestrado Integrado em Engenharia Civil, que nos últimos dois anos tem vindo a recuperar da perda de estudantes portugueses.

Mais de 20 alunos estrangeiros vão iniciar os estudos no Mestrado Integrado em Engenharia Civil na Universidade da Beira Interior (UBI) no próximo ano letivo, situação que confirma o aumento da captação de estudantes verificado nos últimos anos. Uma vez que estas vagas são independentes das que foram disponibilizadas para os candidatos portugueses no Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior, perspetiva-se que uma área tida como fundamental se mantenha forte na UBI.

A estratégia de internacionalização que a UBI empreende desde há alguns anos tem obtido resultados em todas as áreas de formação, mas em Engenharia Civil contribui para minimizar os efeitos da redução de candidatos que se verifica em Portugal.

Pelo terceiro ano consecutivo, a chegada de estudantes internacionais aumenta o número de alunos e o curso a funcionar no Departamento de Engenharia Civil e Arquitetura (DECA) volta a ter a massa crítica geradora de aulas com uma maior dinâmica e facilitadora de interação entre docentes e alunos, que favorecem o sucesso escolar e a integração de todos na Covilhã. Outro aspeto importante é o espírito de grupo que se constrói com um número alargado de estudantes e que é também uma imagem de marca do ambiente académico da UBI.

Para Cristina Fael, “o processo de internacionalização é decisivo”. A presidente do DECA sublinha que “se por um lado garante o funcionamento do Mestrado Integrado em Engenharia Civil, significa também uma perspetiva global”. Isto porque, acrescenta, “garante a multiculturalidade tão desejada nos meios académicos, tão bem-vinda para os jovens e para a sociedade em geral, e particularmente para a região onde a UBI se insere”. Esta perspetiva global é reforçada pela presença de dezenas estudantes Erasmus que todos os anos escolhem a Engenharia Civil da UBI, mas também da crescente procura de estudantes de doutoramento vindos de vários pontos do globo.

Estrangeiros e portugueses têm oportunidade de obter no DECA uma formação de nível internacional, tendo à disposição as modernas instalações que a Faculdade de Engenharia oferece. Além das salas de aulas e espaços de apoio diversos, o edifício que é um dos mais recentes da UBI alberga sete laboratórios de investigação que abrangem todas as áreas de interesse para os futuros engenheiros.

Com um plano de estudos centrado na preparação para a prática profissional, o DECA conta com um corpo docente jovem e qualificado, com uma grande disponibilidade para acompanhar os estudantes ao longo do curso.

Uma fórmula que tem garantido o sucesso aos diplomados em Engenharia Civil, formação que demonstra um elevado nível de empregabilidade em Portugal e no estrangeiro, desmistificando a ideia de uma quebra na procura destes profissionais por parte das empresas. Até porque, como a própria Ordem dos Engenheiros tem destacado, Portugal tem de formar mais engenheiros para seguir o caminho do desenvolvimento e inovação.



Conteúdo Recomendado