Associação Empresarial de Seia oferece couves de Natal aos habitantes e turistas

A Associação Empresarial de Seia ofereceu couves de Natal, no fim de semana, aos habitantes do concelho e aos turistas, com o objetivo de aliviar os gastos das famílias com a Consoada.

A ação esteve inserida nas festividades de Natal promovidas pelo município de Seia e contou com a colaboração de um empresário local, disse à agência Lusa Moisés Cainé, presidente da Associação Empresarial da Serra da Estrela (AESE).

O responsável contou que aquela associação plantou 25 mil couves – unidade correspondente ao número de habitantes daquele concelho da região da Serra da Estrela, num terreno agrícola disponibilizado por um empresário local.

A campanha intitulada “Uma couve por habitante, Natal para todos” foi delineada para “beneficiar os habitantes de todo o concelho, mas particularmente os mais desfavorecidos”, segundo o responsável.

Moisés Cainé referiu que “as couves são tantas” que também podem ser levantadas por pessoas de outros concelhos vizinhos e pelos turistas que durante o fim de semana passarem pela cidade de Seia.

A organização também contactou as várias instituições particulares de solidariedade social e as três corporações de bombeiros do concelho (Seia, São Romão e Loriga) para que recolham as couves distribuídas pela AESE para utilizarem na refeição da noite de Consoada.

“Todas as Juntas de Freguesia estão também avisadas para levarem couves e distribuírem pelos habitantes”, acrescentou.

As couves de Natal foram entregues, no sábado e no domingo, na rua doutor Simões Pereira, por funcionários da Associação Empresarial e da Junta de Freguesia de Seia e pelo empresário que disponibilizou o terreno de cultivo, segundo os promotores.

A campanha de oferta de couves de Natal também pretendeu “promover o concelho e as empresas” de Seia e sensibilizar os habitantes para que, nesta quadra festiva, façam compras no comércio tradicional, indicou o dirigente.

No próximo ano, a AESE tem previsto não só distribuir couves pelos agregados familiares mais necessitados do concelho como também “as batatas e o bacalhau”, para que tenham uma refeição de Ceia de Natal completa, concluiu Moisés Cainé.




Conteúdo Recomendado