Aprovado orçamento de 15,1 ME para 2021 em Vila Nova de Foz Côa

Projetadas para 2021, estão também as novas piscinas coberta, com uma dotação financeira de meio milhão de euros.

O Plano e Orçamento do município de Foz Côa para 2021 foi aprovado em reunião do executivo com uma dotação financeira de cerca de 15,1 milhões de euros, disse à Lusa o presidente da Câmara (PSD).

“Temos programadas três obras de relevo para o concelho, que são o Foz Côa Story House Hotel, os passadiços do Côa e recuperação do Mercado Municipal. Estas obras estão em andamento e esperam-se concluídas no próximo ano, somando um total de investimento de 4,6 milhões de euros”, concretizou Gustavo Duarte.

Para o autarca social-democrata, estas são três obras “estruturantes” para a dinamização turística deste concelho do distrito da Guarda.

Projetadas para 2021, estão também as novas piscinas coberta, com uma dotação financeira de meio milhão de euros.

No plano cultural e recreativo, o documento aprovado contempla iniciativas como o CineCôa, o Festival Foz Côa Summer Fest, as Festividades da Amendoeiras em Flor ou o Festival dos Vinhos do Douro Superior.

“Apesar de estes eventos estarem programados, temos algumas reservas face a evolução da pandemia para próximos meses. As verbas estão destinadas a estas iniciativas culturas e recreativas e as respetivas rubricas orçamentais em aberto”, explicou o autarca do Douro Superior.

A eficiência energético também está contempla com obras nos edifício da Câmara iluminação publica orçadas em 550 mil euros.

Nas funções sociais da autarquia, o Plano e Orçamento, contempla ao projeto “Saúde Sobre Rodas”, em parceria com Cruz Vermelha que inicialmente levava atividades físicas e de bem-estar às populações de todo o concelho de diversos escalões etários, e que este ano está prestar apoio em diversas áreas as populações mais carenciadas, em tempos de pandemia.

“Este projeto faz a entrega de alimentos ou medicamentoso às populações mais vulneráveis, para evitar deslocações “, vincou Gustavo Duarte.

O orçamento contempla uma parcela da sua dotação a novos projetos de ação e apoio social a que se junta a isenção taxas municipais à iniciativa privada também constam no Plano e Orçamento do Município de Foz Côa, com ” o intuito de ajudar a alavancar a ecomimia local”.

O tratamento de esgotos e águas residuais em todo o concelho “é outro dos investimentos para o próximo ano, como início de obras em aldeias com Chãs ou Muxagata e outras que têm as mesmas cessardes em todo o concelho”.

Os vereadores do PS, Jorge Liça e Ondina de Sousa, votaram contra os documentos, considerando que a rubrica relativa às Grandes Opções do Plano para 2021 “traduz a tradicional gestão característica de uma visão do curtíssimo prazo e sem uma estratégia clara de desenvolvimento concelhio”.

“Destes documentos ressalta, de uma forma gritante e escandalosa, um objetivo de gestão do ano de 2021 claramente eleitoralista, indicou o eleito pelo PS, Jorge Liça.

Para os vereadores do PS, os responsáveis pelos pelouros deste executivo apenas se preocupam com as questões de curto prazo e fundamentalmente centradas na gestão corrente do município ou nas eleições de 2021.

“Mais uma vez vê-se pouca preocupação com a ação social, uma menorização das áreas de segurança e proteção civil, um desprezo para as questões da agricultura, as indefinições continuadas nas áreas da cultura e do desporto, uma indiferença gritante para os temas da indústria e comércio, um esforço insuficiente para apoio ao turismo, pouca ação visível em termos de melhorias no urbanismo”, concluíram os vedadores da oposição.

O executivo municipal de Vila Nova de Foz Côa é constituído por três eleitos PSD e dois eleitos pelo PS.

A Assembleia Municipal de Vila Nova de Foz Côa é de maioria social-democrata. O Plano e Orçamento vai ser levado a Assembleia Municipal marcada para o dia 04 do próximo mês de dezembro para discussão e votação.



Conteúdo Recomendado