António Costa valoriza esforço dos municípios na execução de investimentos

O primeiro-ministro, António Costa, reconheceu este sábado o esforço dos municípios na execução de investimentos nos seus territórios e referiu que as autarquias locais são, cada vez mais, “parceiros estratégicos do Governo no desenvolvimento” da economia.

António Costa esteve no passado sábado no concelho de Celorico da Beira, no distrito da Guarda, onde inaugurou as obras de beneficiação da Estrada Municipal (EM) 581 que faz a ligação entre o cruzamento da aldeia de Baraçal e o limite do município de Trancoso.

“Como disse o senhor presidente [da autarquia], não vim inaugurar uma autoestrada, mas vim testemunhar o exemplo do que é o esforço que os municípios fazem para com os recursos que têm, poderem concorrer, quando o podem fazer, a programas para financiar aqueles investimentos que podem parecer pequenos, lá longe, mas que são muito importantes para quem deles beneficia no dia-a-dia e para tornar estes territórios, territórios mais atrativos para poderem atrair investimento e para poder fixar e criar mais e melhor emprego”, afirmou.

Por estas razões, António Costa disse que estava naquele concelho do interior do país, “com mais gosto do que estaria se estivesse a fazer aquilo que é comum fazer-se relativamente a grandes obras de infraestruturas”.

“E este é um excelente exemplo de como hoje as autarquias locais são cada vez mais parceiros estratégicos do Governo no desenvolvimento da nossa economia”, sublinhou.

O primeiro-ministro considerou ainda a sua presença como um momento simbólico muito importante, porque “é uma forma de expressar a gratidão e a solidariedade do Governo para com os municípios das zonas mais desfavorecidas do país, e pelo grande esforço que os autarcas destas terras fazem para servir as suas gentes e para promoverem o desenvolvimento e a coesão” do território.

Falou ainda da próxima Cimeira Luso Espanhola, que se inicia hoje em Vila Real, com o tema da cooperação transfronteiriça.

O tema foi escolhido porque um dos maiores desafios dos dois países para as próximas décadas é “fazer com que estes territórios junto à fronteira, que foram sendo os territórios mais abandonados e mais empobrecidos de um lado e do outro da fronteira, possam ser territórios que unam estes nossos países e sejam uma plataforma de crescimento sustentável do país”.

“E se queremos, por muitos anos, assegurar que nunca mais voltaremos a qualquer procedimento de défice excessivo temos que continuar todos a trabalhar com muita determinação e muita persistência para que a economia seja cada dia mais forte, cada dia gere mais riqueza, mais emprego, mais exportações, de forma a que nunca mais voltemos a passar por aquilo que passámos nos anos que virámos a página”, desejou.

A estrada inaugurada, no sábado,  por António Costa, com uma extensão de 2.860 metros, custou cerca de 80 mil euros ao município de Celorico da Beira.

Segundo o presidente da autarquia, José Monteiro (PS), a requalificação da via, “ansiada há mais de duas décadas” pela população, era “necessária e urgente”, dado o estado de degradação em que se encontrava.




Conteúdo Recomendado