ADM Estrela lança projeto pioneiro na Guarda

O projeto-piloto MAVI visa garantir uma vida mais autónoma e independente para pessoas com deficiência ou incapacidade certificada por atestado multiuso igual ou superior a 60 por cento.

Decorreu hoje, dia 29 de maio, no auditório central do Instituto Politécnico da Guarda (IPG), a primeira ação de sensibilização/apresentação do projeto-piloto Modelo de Apoio à Vida Independente (MAVI), desenvolvido pelo Centro de Apoio à Vida Independente (CAVI) da ADM Estrela – Associação Social e Desenvolvimento, e cofinanciado pelo PO ISE, tendo como Organismo Intermédio o Instituto Nacional para a Reabilitação, IP.

Ao longo da cerimónia de apresentação, na qual toda a logística foi suportada por utentes de Lar Residencial e dos Centros de Atividades Ocupacionais, bem como por formandos/as ou antigos/as formandos/as da ADM Estrela, Carlos Chaves Monteiro, presidente da Câmara Municipal da Guarda e um dos parceiros da ADM Estrela, referiu que “a sociedade de hoje não pode ficar alheia às necessidades concretas da população”, destacando a importância deste projeto enquanto “ferramenta concreta para mudar a vida das pessoas”. O Presidente do Instituto Politécnico da Guarda, Joaquim Brigas, começou por elogiar o grande relevo do Projeto MAVI “para a cidade, a região e a sociedade que vivemos e a sociedade futura que queremos construir”, manifestando ainda a disponibilidade e interesse do Politécnico a que preside em “alargar e aprofundar projetos de inclusão”, quer sejam iniciativas da ADM Estrela ou de outras Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) da região.

A Sra. Secretária de Estado para a Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes, aproveitou a ocasião para lembrar que “testemunhou de forma muito direta o início deste projeto”, acreditando que o mesmo encerra a concretização de “aspirações antigas” para inúmeras pessoas com deficiência/incapacidade. Defendendo que “ninguém pode ficar para trás”, a representante do Estado destacou a possibilidade trazida por este Projeto para que as pessoas com deficiência possam “tomar as suas próprias decisões, servir os seus objetivos” e alcançar a sua independência nas atividades diárias.

O presidente da Direção da ADM Estrela, Bernardino Gata Silva, enfatizou a capacidade da Instituição em reconhecer “a necessidade de adaptar respostas inovadoras e pioneiras”, salientando a “mudança de paradigma” trazida por este Projeto e que permitirá às pessoas destinatárias da assistência pessoal “serem capazes de tomar as suas decisões, sem que haja terceiros a controlar as suas vidas”.

O Modelo de Apoio à Vida Independente, que terá a duração de três anos e abrangerá cerca de 900 pessoas com diversidade funcional em todo o País, tem como finalidade disponibilizar assistência pessoal adaptada, individualizada e diretamente gerida pela pessoa destinatária da assistência, promovendo a sua independência e consequente inclusão social.

Para beneficiar dos serviços de assistência pessoal, o/a candidato/a deve possuir idade igual ou superior a 16 anos e ser detentor/a de deficiência certificada por atestado médico de Incapacidade Multiuso ou Cartão de Deficiente das Forças Armadas, com grau de incapacidade igual ou superior a 60%, ou diagnóstico de deficiência intelectual, de doença mental ou de Perturbação do Espectro do Autismo, independentemente do grau de incapacidade.

As inscrições podem ser efetuadas nas instalações do CAVI ou através do link https://www.admestrela.pt/mavi-modelo-de-apoio-a-vida-independente/, onde se encontram outras informações de relevo relativas ao Projeto e à Instituição promotora.



Fotogaleria


Conteúdo Recomendado