A pequena casa em Vale de Estrela onde a ArchDaily gostava de passar o confinamento

A Casa da Gafanha, na Guarda, foi destacada pela ArchDaily como um dos 50 projectos mais vistos na plataforma.

A Casa da Gafanha, na Guarda, foi destacada pela ArchDaily como um dos 50 projectos mais vistos na plataforma. O arquitecto Filipe Pina admite o “orgulho” em ver o seu trabalho destacado: “Isto é bem mais difícil para nós, aqui no interior do país.”


Numa lista que bem podia chamar-se “os 50 sítios onde gostávamos de passar o confinamento” mora uma casa na aldeia de Vale de Estrela, na Guarda. A ArchDaily reuniu as 50 habitações que mais despertaram a atenção dos visitantes da plataforma dedicada à arquitectura, quando, em 2020, o conceito de casa “ganhou novos significados e valores”. O arquitecto Filipe Pina, responsável pela obra, confessa ao P3 que recebeu a notícia com “muito orgulho” e que a distinção da ArchDaily ao atelier da Guarda o deixou “muito surpreendido”: “Isto é bem mais difícil para nós, aqui no interior do país”.

“É uma casa pequenina, com uma escala muito menor do que o normal, é no interior do país e tem elementos muito tradicionais. Ficámos surpreendidos.” O projecto surgiu de uma encomenda de amigos: “A casa foi uma herança de família. Propôs-se que fosse reinterpretado o passado da casa, mantendo a volumetria ao máximo.” Assim, preservando a linguagem arquitectónica já existente, “em memória do passado e da história da família”, manteve-se o granito da região. “A nossa ideia era que todos os elementos que fossem novos se distinguissem em relação à ideia do passado, que é a casa de pedra”, explica Filipe Pina. E assim, como elemento novo, surgiu o betão.

Para além da preocupação com a luz natural, da construção virada a Sul e da inspiração em alguns elementos (que explicam, por exemplo, a “intenção da reinterpretação dos socalcos”) houve ainda espaço para uma inovação que se destaca. Há uma rede que se sobrepõe a um pequeno pátio e que surge com duas funções: “primeiro, a de resguardo, porque está por cima de um pátio inferior, e a ideia foi criar uma barreira que permitisse a passagem sem ser através da construção de um típico guarda-corpos com 90 centímetros de altura; e depois, obviamente, ser um espaço de contemplação, de leitura e de relação com a paisagem.”

A Casa da Gafanha representa uma “renovação na história da família” do cliente, mas também o destaque da arquitectura portuguesa na representação internacional: este é o único projecto português a constar nesta lista da ArchDaily. Mas não foi a primeira vez que Filipe Pina viu o seu nome nas página da plataforma: em 2015, a Casa JA foi incluída nos finalistas do prémio internacional Building of The Year.




Conteúdo Recomendado