Poupança e Financiamento da Economia Portuguesa

Sinopse
«As crises, como a da economia portuguesa, que resultam de diminuições da poupança tendem a originar recessões mais graves e recuperações mais lentas do que as crises em que o endividamento resultou de aumentos do investimento. Neste livro, os autores analisam as causas da diminuição da taxa de poupança, que desde o início dos anos 2000 se situa entre as mais baixas do mundo. Apesar da baixa taxa de poupança das famílias, foram as elevadas necessidades de financiamento do Estado e das empresas que estiveram na origem do endividamento externo, que conduziu ao resgate pela troika. Num contexto de elevado endividamento, de incerteza nos mercados internacionais e de redução e envelhecimento da população, uma baixa taxa de poupança constitui uma severa restrição à capacidade de financiamento do investimento, condição sine qua non para um regresso sustentado do crescimento económico. Por essa razão, são também discutidas medidas para estimular a poupança.»

Autor(es): Fernado Alexandro, Luías aguiar-Congaria, Pedro Bação, Miguel Portela

Edição: Imprensa Nac. Casa da Mooeda

Outros Conteúdos
Acompanhe toda a atualidade da Região! Subscreva a nossa newsletter.