Turismo Centro premeia projeto Mondego Art Valley

O projeto Securis venceu a segunda edição do Concurso de Empreendedorismo Turístico / Prémio José Manuel Alves, instituído pelo Turismo Centro de Portugal.

“Quando o turista está a entrar numa zona menos segura, em qualquer parte do planeta, o telemóvel vibra para o alertar. A ideia é que os utilizadores atualizem os mapas em tempo real, dando conta de eventos ou situações perigosas que estejam a acontecer”, explica a Turismo Centro de Portugal em nota divulgada hoje.

A aplicação apresenta também os tipos de riscos por área, os recursos e as formas de os mitigar, permitindo ainda um botão de “pânico” para chamar as forças de segurança.

“Este produto é um contributo inovador a nível tecnológico e de design gráfico, que apresenta aos turistas, de forma apelativa, simples e fácil de utilizar, os dados de segurança de um destino, bastando para tal um ‘smartphone’ Android com ligação à internet. Esta plataforma multilingue utilizará tecnologia de georreferenciação, através do recetor GPS do telemóvel”, avisa a Turismo Centro.

O júri final do concurso, composto por Miguel Mendes, em representação do Turismo de Portugal, e Miguel Barbosa, diretor da Unidade de Turismo da Portugal Ventures, distinguiu com o segundo lugar o projeto Invisiwall, dos promotores Rui Nuno Castro, Ivo Pimentel, João Diogo Ramos, Eduardo Esteves e Simon Punter.

“Este projeto é também uma aplicação móvel, que pretende replicar de forma virtual a necessidade instintiva que todos temos de assinalar a nossa passagem por locais, seja através de grafites urbanos, de rabiscos no mobiliário das escolas ou hotéis”, esclarece a Turismo Centro.
Com o Invisiwall, de forma virtual, através de uma tecnologia “mobile centric” e recurso a realidade virtual, cada utilizador poderá deixar numa determinado local os elementos que entender – um texto, um desenho, uma foto – agarrados a uma coordenada para serem vistos por aqueles que partilhem o mesmo lugar.

Em terceiro lugar ficou o projeto Mondego Art Valley, proposto por Catharina Sligting, uma quinta rural de 22 hectares, com animais, agricultura biodinâmica, restauração com recurso a horta própria, ambiente ecológico, alojamento para turistas, ateliês e teatro ao ar livre. Na quinta, pretende-se iniciar uma Residência de Artes, incluindo alojamento, para pessoas que participem em atividades (‘workshops’, ‘summerschool’, ‘training’) criativas.

Inserido na paisagem natural, pretende-se também apresentar um conjunto de ofertas como esculturas, pavilhão de poesia, quiosque de ciências, biopiscina e estrutura esférica de estrela, entre outras.

O Concurso de Empreendedorismo Turístico 2016, que contou com a participação de 56 ideias de negócio, destina-se à deteção e apoio a projetos inovadores no setor do Turismo com aplicação na região Centro de Portugal, sendo atribuído ao vencedor o Prémio José Manuel Alves, em homenagem ao percurso do ex-presidente da Região de Turismo do Centro, que esteve na génese da criação do gabinete de apoio ao investimento turístico na região.

A candidatura vencedora recebe um prémio de 2.000 euros, cabendo ao segundo classificado 1.000 euros e ao terceiro classificado 500 euros. Os dois primeiros classificados são também premiados com uma estadia num empreendimento turístico de 5 estrelas da região Centro.

Os prémios serão entregues no ‘Vê Portugal’ – 4.º Fórum de Turismo Interno, que se realiza de 29 a 31 de maio, em Leiria.



Artigos Relacionados / Pub