NERGA quer organizar concurso para promover azeite da região

Os resultados do Concurso de Vinhos da Beira Interior serão conhecidos a 2 de julho, durante um jantar de gala a realizar no Sabugal.

O presidente da Associação Empresarial da Região da Guarda (Nerga) anunciou hoje que aquela entidade poderá promover em 2017 um concurso de azeites produzidos na região à semelhança do que já acontece com os vinhos da Beira Interior.
“O Nerga quer replicar este conceito [de concurso] a outros produtos, como por exemplo ao azeite biológico da região, podendo ser uma realidade já no próximo ano”, disse hoje Pedro Tavares à agência Lusa.
O presidente do Nerga falava à margem do 9.º Concurso de Vinhos da Beira Interior, que decorre hoje e sábado na cidade da Guarda, por iniciativa da Comissão Vitivinícola da Região da Beira Interior (CVRBI), do Nerga e da Associação Empresarial da Beira Baixa (AEBB), com o objetivo de promover a qualidade dos vinhos da região.
Em relação ao azeite, Pedro Tavares referiu que o concurso deverá ser realizado pelo Nerga em colaboração com a Associação de Agricultores para Produção Integrada de Frutos de Montanha (Appim) e com a Associação de Produtores de Azeite da Beira Interior (APABI).
“Há bons azeites biológicos no distrito da Guarda e na região que é necessário promover”, rematou.
Pedro Tavares lembrou que o Nerga deu início ao Concurso de Vinhos da Beira Interior que “veio acelerar o aumento da qualidade de vinho na região e a verdade é que têm aparecido nichos com vinhos de muita qualidade, com lotes mais pequenos que um dia farão a diferença e impulsionarão a região para um patamar que ela merece”.
“Para o Nerga, o vinho é extremamente importante. O vinho é o embaixador da nossa região e este aumento de qualidade constante tem possibilitado outra visão sobre a região”, disse, admitindo que “o enoturismo será uma realidade muito próxima” na Beira Interior.
O 9.º Concurso de Vinhos da Beira Interior decorre nas instalações do futuro museu de arte sacra da Guarda, com a participação de 81 vinhos (tintos, brancos ou rosados, espumantes e frisantes certificados) de 28 produtores.
Segundo Rodolfo Queirós, técnico da CVRBI, os vinhos da região têm obtido um “apreciável prestígio” no mercado nacional e internacional.
“Em 2015 tivemos uma subida nas vendas de 5,6% relativamente a 2014 [em que foram vendidos cerca de quatro milhões de garrafas]. Vendemos mais cerca de 380 mil garrafas do que no ano anterior”, adiantou à Lusa.
Os vinhos estão a ser comercializados para França, Alemanha, Canadá, Estados Unidos da América, Reino Unido, Austrália, Brasil, Angola e Japão.
“Os produtores também estão a explorar um bocadinho o Oriente, nomeadamente a China e a Coreia do Sul”, disse Rodolfo Queirós.
A CVRBI abrange as zonas vitivinícolas de Castelo Rodrigo, Pinhel e Cova da Beira, nos distritos de Guarda e Castelo Branco, onde existem 52 produtores, sendo cinco adegas cooperativas. Os resultados do Concurso de Vinhos da Beira Interior, cujo júri é presidido pelo crítico de vinhos Aníbal Coutinho, serão conhecidos a 2 de julho, durante um jantar de gala a realizar no Sabugal.



Artigos Relacionados / Pub