13º Encontro de Leitura na Mêda

Obra que retrata 13 anos de Guerra Colonial no feminino foi ontem debatida na Casa Municipal da Cultura, no âmbito de mais uma edição de encontros de leitura , promovidos pelo Município de Mêda.

A obra da jornalista Sofia Branco “As Mulheres e a Guerra Colonial” foi o ponto de início do debate da XIII encontro do Clube de Leitura de Mêda que teve lugar no dia ontem, 12 de março no auditório da Casa Municipal de Mêda.

Trata-se de um livro que cruza a vida de 49 mulheres que viveram a guerra colonial. Mulheres que viveram a guerra cá dentro sofrendo por homens que forma lá fora e ainda hoje trazem máculas da guerra. Um livro que conta o papel das mulheres que ficaram por Portugal durante a guerra colonial. Um livro no feminino que agora explica como essas mulheres viveram esse período da história portuguesa e que por vezes mudaram alguns cursos no país.

Sofia Branco, escritora e jornalista, descreve no livro actos heróicos como por exemplo a primeira manifestação contra o conflito colonial que foi organizado por mulheres no Porto. Madrinhas de guerra, mulheres de cidade e do interior do país, mulheres que criaram movimentos de guerrilha como o “Luar” em que desviaram de uma avião da TAP.

Sofia Branco, diz que ainda hoje são sentidos alguns efeitos da guerra colonial, quando por vezes surge casos de violência doméstica provocados por homens com mais de 60 anos e que estiveram em missões em África.