PS questiona Governo sobre Centro de Cooperação Policial de Vilar Formoso

O deputado socialista Santinho Pacheco anunciou hoje que questionou o Governo sobre o Centro de Cooperação Policial e Aduaneira de Vilar Formoso, Almeida, perante “rumores” que apontam para uma eventual perda de importância no contexto nacional.

No documento dirigido à ministra da Administração Interna, o deputado eleito pelo círculo eleitoral da Guarda pergunta se “há alguma intenção do Governo em alterar a importância de Vilar Formoso enquanto Centro de Cooperação Policial e Aduaneira e atribuí-la a outra fronteira terrestre portuguesa”.

Santinho Pacheco explica no requerimento enviado à ministra Constança Urbano de Sousa através da Assembleia da República que, no âmbito da criação em Portugal do SPOC – Single Point of Contact [Ponto de Contacto Único Nacional], “há indicações de que apenas um Centro de Cooperação Policial e Aduaneira ficará a trabalhar 24 horas por dia, com preponderância sobre todos os outros, no âmbito da cooperação policial e aduaneira bilateral entre a República Portuguesa e o Reino de Espanha”.

Segundo o deputado, existem cinco Centros de Cooperação Policial e Aduaneira – Tuy, Quintanilha, Vilar Formoso, Caya e Castro Marim -, sendo que “a emblemática fronteira de Vilar Formoso, a maior fronteira terrestre portuguesa, situada no distrito da Guarda, sempre assumiu preponderância nesta matéria”.

“Acresce que geograficamente está no centro do país, é a que tem mais movimentos de pessoas e historicamente está ligada à defesa dos direitos humanos e da liberdade”, refere.

Aponta ainda que o Corredor Internacional Norte da Ferrovia 2020, a Linha Aveiro/Vilar Formoso/Salamanca reforça a sua “importância estratégica transfronteiriça”.



Artigos Relacionados / Pub