COMPETE 2020 apoia projeto ‘Terras Altas de Portugal – Novos Horizontes’

Shutterstock Images - Licença Standard

O novo Projeto Terras Altas de Portugal – Novos Horizontes, cofinanciado pelo COMPETE 2020 – Programa Operacional Competitividade e Internacionalização, vai decorrer até 2017, e visa a promoção no quadro internacional de alguns dos produtos tradicionais como, por exemplo, carnes e fumeiro, azeite, mel, frutas, vinhos, queijos.


Sessão de Divulgação do Projeto EXPORTAR+ em Pinhel

Shutterstock Images - Licença Standard

No próximo dia 28 de setembro, o Município de Pinhel vai acolher uma sessão de divulgação no âmbito do Projeto EXPORTAR+ promovido pelo NERGA (Associação Empresarial da Região da Guarda) e pela AIRV (Associação Empresarial da Região de Viseu).


Moraleja acolhe Feira Raiana

https://scontent.flis5-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/13895059_1661378987515371_8202350773706146512_n.jpg?oh=1037fe5a2ab9797007e06b3ec08b848e&oe=58493514

A XX Feira Raiana decorre no próximo fim de semana, de 1 a 4 de setembro, em Moraleja (Espanha). São quatro dias de música, animação de rua, workshops, exposições, artesanato e gastronomia.


Agricultura contemplada no primeiro orçamento participativo do país

O Governo lançou esta segunda-feira o primeiro orçamento participativo nacional do mundo. A agricultura é uma das áreas contempladas pela iniciativa do Executivo de António Costa que vai pedir ideias aos portugueses para o Orçamento do Estado para 2017.



Desempregados vão receber mais dinheiro no subsídio

http://www.publico.pt/economia/noticia/garantia-jovem-quer-chegar-aos-jovens-que-nao-estao-inscritos-no-iefp-1623145

Governo vai atualizar Indexante de Apoios Sociais de acordo com a inflação, mas ainda não foram revelados números exatos. Aumento do subsídio de desemprego pode rondar, no máximo, os sete euros. Outras prestações sociais também sobem.


Combustíveis aumentam hoje

Shutterstock Images - Licença Standard

Mais uma semana, mais um aumento dos combustíveis nos postos de abastecimento portugueses. Apesar de não ter crescido o imposto, a ditadura dos mercados internacionais não perdoa os condutores nacionais.